top of page

CARTAS DE CORTÉS - PARTE VII

Cortés Encontra Xicotencatl, O Chefe Tlaxcala


As dez horas do dia seguinte, Xicotencatl, Capitão Geral desta província, com cerca de 50 das principais pessoas pertencentes a ela, veio a mim e solicitou por parte de si mesmo e do Magiscatizin (o governador da República de Tlaxcala), que é a pessoa mais importante de toda a província, e ao lado de tantos outros chefes e caciques, se eu poderia admiti-lo dentro do real serviço de Sua Majestade, e minha amizade, eu poderia perdoá-lo de seus erros passados, assim como ele não nos conhecia, nem entendia quem éramos; Acrescentou que ele já havia exercido sua maior força, tanto de dia como durante a noite, evitando se tornar vassalo de vassalo de qualquer poder; Que esta província nunca possuiu em nenhum período, ou chegou a conhecer, um mestre; Que eles viviam livres e irrestritos desde tempos imemoriais até o presente momento; Que eles com grande sucesso se defenderam do poder de Montezuma, seu pai e seus ancestrais, que haviam subjugado toda a terra, sendo que eles atacam de todos os lados, de forma que não havia passagem livre a não ser dentro de seu próprio território; Que foram privados do uso do sal, pois não era produzido em nenhuma parte neste país, nem podiam ir em qualquer lugar e assim produzir; e pela mesma forma, eles ficaram desprovidos de roupas de algodão, pois o algodão não cresce pelo clima ser deveras frio, assim como inúmeras outras coisas que haviam naquelas terras que eles queriam, pela razão de estarem confinados a limites. Mesmo assim, eles preferiram sofrer estas privações, e consideraram melhores para eles, pois assim poderiam aproveitar de sua liberdade e não ser servos de ninguém; E no que diz respeito a mim, tenho as mesmas sensações; Mas o que eles acabaram de declarar, que tentaram com suas forças, e viram claramente que nenhuma força ou habilidade seria capaz de comandar, aproveitar qualquer coisa, e agora eles buscam o senhorio de Vossa Majestade do que perecer na perdição da destruição de suas casas, suas mulheres e crianças. Eu estou satisfeito pelo que disseram, que eles saibam que as perdas que eles sofreram foram inteiramente devido a suas próprias ações; que eu mal entrei em seus territórios na crença de que estaria entre amigos, pois os Cempoallanos me garantiram isso, e eu desejava isso; Então eu enviei na frente meus mensageiros para informar que eu estava chegando, para o prazer que a amizade me daria; E sem me retornarem nenhuma resposta enquanto eu me aproximava com aparente segurança, eles me atacaram na estrada, matando dois de meus cavalos e ferindo outros; E além disso, após lutar comigo me enviaram mensagens, dizendo, o que havia acontecido, que aquilo era contrário a seus desejos e consentimento, que certas comunidades e tribos haviam planejado movimentações sem o consentimento e participação deles, mas eles os reprovaram por isso e assim desejavam minha amizade. Acreditando que era verdade, eu os disse que isso me agradava, e que no dia seguinte eu visitaria suas residências como amigos; E ainda assim eles me atacaram enquanto eu lutava quase o dia inteiro no caminho, até o cair da noite, apesar de eu ter desejado seriamente a paz. Eu também os lembrei de tudo que eles fizeram para opor meu progresso, e todas as maneiras usadas, que irei omitir para não cansar Sua Majestade. Finalmente, eles ficaram e se reconheceram como vassalos de Sua Majestade, oferecendo suas pessoas e propriedades para o serviço real. Isso eles levaram em efeito, pois mantêm-se leais até o momento; E eu acredito que eles irão assim permanecer, assim como Sua Majestade no futuro irá ver.


Hernán Cortés, Segunda Carta, páginas 58-59.


Xicotencatl

Fonte: American Historical Association.


13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page