top of page

CARTAS DE CORTÉS - PARTE V

Cortés Recebe Ouro dos Caciques


Aqui eu venho encontrar outros dois caciques, em que as terras são no mesmo vale, uma ou duas ligas abaixo, e outras duas ligas acima. Eles me deram várias correntes de ouro de pouco peso e valor junto de sete ou oito escravos. Deixando eles bem satisfeitos, eu saí, após ficar por lá uns quatro ou cinco dias, e cheguei na residência do cacique que havia mencionado com duas ligas de distância na parte superior do vale; Chama-se Yztecmastitán. Os domínios deste homem estão coberto de povoados de três ou quatro ligas sem interrupção, e estão situados ao longo, de um terreno do vale até os bancos de um rio menor que flui pelo vale. Sua residência está em uma eminência elevada, protegida por uma grande fortaleza que é encontrada em pelo menos metade da Espanha, e é bem defendida por suas muralhas, barbacanas e fossos; No topo deste terreno elevado há uma população de uns cinco ou seis mil, habitando boas casas, e é alguma casta mais rica dos que habitam o vale abaixo. Aqui, da mesma forma, eu fui bem recebido, e o cacique me disse que ele era vassalo de Montezuma. Fiquei aqui por três dias, bem como para recrutar dos efeitos de nossa jornada através este país desértico, assim como para esperar pelas quatro mensagens, os nativos de Cempoala, que me acompanharam, aqueles que eu enviei de Caltanmi a uma grande província chamada Tlaxcala, eles informaram que eu estava próximo daquele lugar, assim como provou ser verdade. Também fui informado por eles que os nativos destas províncias eram seus aliados, mas inimigos mortais de Montezuma; E eles queriam e desejavam que eu fizesse uma aliança com eles, pois eles eram uma nação numerosa e forte. Este país, eles também adicionaram, fazia fronteira com Montezuma por toda sua extensão, o que os fazia ficar em estado constante de guerra; E foi pensado que eles ficariam satisfeitos comigo, e teriam minha parte na situação e Montezuma deveria se esforçar para tirar algum proveito de mim. Os mensageiros não retornaram durante os oito dias que permaneci no vale e perguntei a um dos cempoallanos que estavam comigo "por que eles não retornam?" Eles responderam que o lugar deve ser muito longe, e eles não poderiam ter contado direito as distancias. Vendo que eles não viriam, e estando assegurado por vários líderes Cempoallanos da amizade e proteção do povo daquela província, eu resolvi seguir o meu caminho cada vez mais longe.


Na saída do vale, eu encontrei uma grande muralha feita de pedra seca com cerca de nove pés de altura, que se estendia por todo o vale de uma montanha a outra; Tinha vinte pés de espessura e sobrepujando toda sua extensão por um parapeito de um pé e meio, que os permitia lutar no topo da muralha.

Hernán Cortés, Segunda Carta, páginas 48- 49


Calendário Asteca


Fonte: American Historical Association.

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Komentáře


bottom of page